Músicos: o que pode atrapalhar seus planos de formar uma banda

Formar uma banda não é fácil. Você está aí querendo criar um grupo para tocar na cidade (e quem sabe, sonhando alto e fazer turnês fora do Brasil algum dia)e precisa saber que vai ter uma certa dor de cabeça. Sem delongas, vamos aos principais problemas que podem atrapalhar ou até mesmo acabar com sua banda.

1 – Para iniciar a lista de problemas, vamos abordar o gosto musical dos integrantes. É um tanto complicado achar músicos que compartilham do mesmo gosto musical que você. Isso é um problemão, pois se você toca hard rock e o baterista da sua banda é um espancador de bateria que curte thrash metal, certamente sua banda não vai pra frente. Ou pior, você quer formar uma banda de metal melódico e descobre que aquele cara que disse estar disponível para cantar no seu grupo tem um grave problema: ele não consegue alcançar a quadragésima oitava da nota ré.

2 – Compromisso! Essa palavra chega a doer nos ouvidos de alguns músicos. Lá vai você todo empolgado ao ensaio e aquele FDP do seu grupo faltou o ensaio de novo. Ele falta e lhe dá as mais variadas desculpas para justificar a ausência. Se você tiver síndrome de Axl Rose o expulsará da banda imediatamente. Se tiver paciência e compaixão estará formando um Scott Weiland na sua banda. Um vacilão! Não dê mole para “músicos” assim, faça parecer um acidente.

3 – Síndrome de Yoko Ono ataca novamente. A namorada de algum integrante vai a alguns ensaios, dá pitaco, chantageia o namorado que foi ensaiar ao invés de levá-la ao cinema. Às vezes ela até odeia a banda em si, odeia as músicas, odeia tudo. Ela tem planos maléficos para tirar o namorado da banda. Ele, tendo de escolher entre a banda e ela, escolhe ela. A partir daí pode acontecer de tudo, desde sua banda ficar arruinada até sua banda fazer uma turnê na Europa e ele se arrepender amargamente enquanto assiste a Sessão da Tarde com a Jucicleide.

4 – Falta de tempo. Há alguns empregos que tomam o tempo do músico até nos finais de semana. Aí não tem jeito, ou é mudar de emprego ou procurar brechas para ensaiar. Em todo caso, faça um vodu daquele chefe maldito que te põe nas piores escalas de trabalho.

5 – Você acaba de entrar numa banda, é o mais novo integrante e aí rola aquele “ciuminho” de algum componente que vai fazer de tudo para te tirar do grupo. Treta! O clima vai ficar pesado e é melhor vocês se entenderem, caso contrário vocês parecerão dois idiotas com olhos semicerrados brincando de faroeste: “Este estúdio é pequeno demais para nós dois”.Cresçam!

6 – Vixi! Ditador à vista. Alguém foi tomado pelo grande ego e resolveu ditar as regras. Nesse caso melhor tomar cuidado. Dê-lhe uma voadora no peito antes que os álbuns da banda se tornem meras peças autobiográficas do sujeito, em que ele vai versar sobre como odeia o sistema, como a mãe faz o melhor chocolate quente do bairro, ausência paterna, pseudônimo do rock star que fuma orégano, televisões jogadas pelas janelas de hotéis, professores arrogantes, tijolos, cimento, argamassa, vigas e, por fim, muros (????).

7 – Aquele integrante super gente fina e que toca muito, por algum motivo, saiu da banda. Substitui-lo não será nada fácil, pois será difícil encontrar alguém que, além da qualidade musical, pagava a maior parte das cervejas depois do ensaio (gente boa demais). Nesse caso, não há muito o que fazer, apenas contar com a sorte. Frustrações nesse ramo são comuns, lembre-se que há teorias que tentam corroborar o passado da hiena Hardy: ela já teve bandas.

8 – Por fim, tenha em mente que ter uma banda é como ter uma empresa, cada pessoa envolvida no projeto tem uma função e existem gastos a serem contabilizados (ensaios, equipamentos, etc). Você, de certa forma, além de tocar bem, deve possuir um espírito empreendedor. Infelizmente é assim que funciona. E pra investir na banda é tão complicado que você terá que cortar gastos pessoais (mas não corte a cerveja, não precisa para de viver por causa da banda).

Fonte: whiplash.net/materias/opinioes

Anúncios