Resenha – City of Ghosts – Terrortory

O Thrash/Death Metal da banda continua com suas características, mas é latente a evolução técnica dos músicos, além do senso de melodia. Sim, a banda flerta com o mais sueco de todos os subgêneros, o Melodic Death Metal, mas não se deixa levar somente pelos clichês do mesmo.

O trabalho de guitarras, apesar de não inovar muito, possui boas bases/solos e é executado de forma coesa. A cozinha mostra uma pegada intensa, com o baixo fazendo um papel fundamental no peso. Sem contar os vocais de Johan Norström que sabe alternar bem o rasgado com o gutural.

Destaque sem dúvidas para a primeira faixa New World Order, que possui um ótimo refrão e Dead Eyes in a Dying World. A produção a cargo da banda também merece menção, afinal está com uma qualidade ótima. No mais é esperar que o segundo trabalho do quinteto seja no mínimo equivalente a “City Of Ghosts”.




Anúncios