Originalidade: 10 Bandas ou Projetos Inusitados

Hoje em dia é costume ler a respeito de dois pensamentos extremos dentro da comunidade do rock: Alguns dizem que rock é livre e que qualquer coisa pode ser feita (pensamento menos frequente), outros são da filosofia de que “não se mexe em time que está ganhando” e não aceitam novidades muito bem. O fato é que somos um grande grupo de pessoas e pessoas são diferentes umas das outras.

Eu, particularmente, adoro uma coisa inusitada e inovadora – muitas vezes coisas que a maioria detesta. Mas estamos em pleno século XXI, dentro do que chamamos de pós-modernidade e já não há mais muita coisa a ser inventada em termos musicais. Resta então misturar duas coisas antigas – que um dia também foram vanguarda – e ver no que dá. Algumas misturas impensáveis já foram feitas e hoje em dia já são comuns, e originaram estilos como o Progressivo, o Metal Sinfônico, Folk Metal, o desprezado New Metal, dentre outros.

Pensando nisso, listei abaixo 10 bandas ou projetos relativamente recentes que apostaram em fazer “misturebas” loucas usando o rock/metal como base – lembrando que não estou analisando a qualidade como critério máximo, mas o nível de criatividade na hora de misturar estilos. Algumas são bem conhecidas, outras nem tanto. Em algumas, o inusitado está no som da banda em si, em outras na proposta ideológica, mas o fato é que poucos arriscariam o que fizeram os malucos abaixo:

1 . DIABLO SWING ORCHESTRA

Com cerca de 9 anos de história, 3 álbuns lançados e uma explicação no mínimo criativa para o nome que tem, a banda sueca DIABLO SWING ORCHESTRA , ou simplesmente D:S:O, é uma das mais populares do chamado Avant-Garde Metal, que foi um nome criado para definir a união do heavy metal com outros estilos inimagináveis. E o D:S:O mistura metal com vocais líricos, flamenco, jazz, dark cabaret, salsa, samba e mais um monte de estilos dançantes que deixam os fãs indecisos entre bater cabeça ou arriscar alguns passinhos. Vocais femininos de altíssimo nível, vocais masculinos originais, instrumental muito bem trabalhado, letras irônicas e criativas são os ingredientes que formam o D:S:O. Escolher uma música para representar a banda é quase impossível pela variedade do som que fazem, mas segue abaixo o single do álbum “Pandora’s Piñata”, “Voodoo Mon Amour” :


2 . APOCALYPTICA

Da Finlândia vieram grandes expoentes do rock, do metal melódico, sinfônico e Power, como NIGHTWISH, STRATOVARIUS, CHILDREN OF BODOM, HIM e muitas outras. Já consagrada e conhecida, junto com esse pessoal veio a banda APOCALYPTICA. Ativa desde 1993 – talvez a mais antiga da lista junto com APOLOGETIX-, a banda em sua ideia inicial era realmente inusitada: Fazer heavy metal com nada mais do que quatro violoncelos!

O álbum de estreia da banda trazia covers muito interessantes do Metallica todos apenas com os celos. Desde 2005 a banda conta também com um baterista. A maioria das músicas é instrumental, mas sempre contam com participações especiais nos vocais. Já fizeram parcerias com nomes como Dave Lombardo (SLAYER), Corey Taylor (SLIPKNOT/STONE SOUR), Cristina Scabbia (LACUNA COIL), Lacey Mosley (FLYLEAF), Ville Vallo (HIM), Lauri Ylonen (THE RASMUS), dentre outros. Abaixo, uma das musicas autorais deles que mais gosto:

3 . VAN CANTO

Metal a capela. Será que isso funcionaria? Os alemães do VAN CANTO arriscaram e foram grandemente aplaudidos por seus covers e também por suas músicas próprias. Com dois vocais principais muito competentes (masculino e feminino), três rapazes que simulam instrumentos e um baterista que toca o único instrumento na banda que não é a voz, o VAN CANTO merecia estar aqui. O legal seria que a bateria também fosse beat Box, mas infelizmente perderiam o cerne do heavy metal, e a bateria está lá para que identifiquemos o estilo claramente. Conhecidos por covers do Metallica, Iron Maiden e Nightwish, eles tem quatro álbuns de estúdio que mesclam tais covers e também músicas próprias. Abaixo a ótima “The Seller of Souls”:





E pra quem achava que não haveria um representante Tupiniquim aqui, apresento-lhes o HUASKA. Quando pedi ajuda para montar essa lista me lembraram do HARDNEJA SERTACORE, que tem a proposta no mínimo estranha de tocarem clássicos do sertanejo no estilo com o qual brincaram com o nome, mas os deixo aqui como menção honrosa. Optei mesmo foi pelo HUASKA, afinal eles não fazem simplesmente versões de músicas, eles fazem uma mistura muito bem feita – e impensável até então – de rock com… Bossa nova! E outras coisas bem inerentes do MPB também. Tendo suporte de arranjadores do MPB, a banda criou um estilo que não poderia deixar de estar aqui. 

5 . HEVISAURUS

Mais uma vez os finlandeses entram nessa lista, dessa vez com uma ideia esquisita para nós brasileiros, mas que não está no som da banda em si. O fato é que o HEVISAURUS é uma banda de heavy metal para crianças. Oi? Isso mesmo! Não bastassem as letras – em finlandês – voltadas para o público infantil, eles se caracterizam de dinossauros “fofos”. É quase um Barney headbanger finlandês. E faz o maior sucesso por lá, hein! E não é pra menos! Vocês podem até achar as fantasias um tanto constrangedoras, mas o som deles é muito bom. Abaixo um clipe oficial pra vocês darem uma espiada:

6 . FLATFOOT 56
No ano de 2000, três irmãos de Chicago, Illinois, resolveram montar uma banda de Oi! Punk. Ok, normal. Mas acontece que além de abordar uma temática cristã em várias letras, a banda é composta por guitarra, baixo, bateria e… Gaita de fole e bandolim. O que gerou um rótulo para eles: o Celtic Punk. Instrumentos escandinavos não são novidade desde que existe folk rock e folk metal. Mas no punk era novidade e isso acabou chamando a atenção. A ideia é estranha e o som é considerado ruim por muitos. Mas que merecia estar na lista, merecia. E eu gosto bastante. Pra provar que eu não estou mentindo segue abaixo uma versão deles do clássico… Peraí… “Amazing Grace”?


7 . MAGNI ANIMI VIRI

Bem, geralmente quando se fala em metal sinfônico, logo nos lembramos de bandas como THERION, NIGHTWISH, EPICA, dentre outras. Geralmente essas bandas possuem uma vocalista principal que na maioria das vezes usa a técnica do canto lírico, e um homem que ou faz guturais ou tem vocais bem heavy metal. O MAGNI ANIMI VIRI é um projeto italiano que infelizmente só tem um álbum e não virou algo permanente. O motivo de estar nessa lista é que ao invés de fazer como a maioria das outras bandas sinfônicas, eles tem um vocal masculino cantando lírico e uma voz feminina fazendo o que chamamos de belting. Isso fora o fato de que todas as músicas são cantadas em italiano. Quem gosta das guitarras sobressaindo a orquestra talvez não goste muito, mas vale a pena dar uma conferida:



8 . ORPHANED LAND

O ORPHANED LAND é considerado uma banda de Folk Metal. E é. Mas o legal dela é que eles são de origem israelita e a sonoridade sofre forte influência da música do Oriente Médio, o que fez com que levassem o rótulo de oriental metal. Eles apresentam elementos do metal extremo, folk e até um pouco de progressivo. Além disso, há uma mistura de filosofias interessantíssima. Com uma mensagem de paz, eles acreditam numa convivência pacifica entre judeus, mulçumanos e cristãos. É uma banda já antiga também, mas foi com o álbum “Mabool” que ganharam o mundo. Abaixo, single do último álbum da banda, lançado em 2010:

9 . APOLOGETIX

Essa é mais uma banda onde a diferença está na proposta e não na sonoridade. Até por que é meio difícil ter a sonoridade original quando todo o trabalho é composto de covers. Ou melhor… Paródias. Paródias? Sim! Há uma relação de amor e ódio entre rock e cristianismo. As opiniões são divididas, as discussões quentes e o assunto polêmico. Muitos acham que rock em geral é blasfêmia. Mas secristãos tem alguma capacidade de cometer algum tipo de blasfêmia contra os headbangers que não gostam de religião, o APOLOGETIX é a maior evidência. Afinal, muitos – cristãos e não religiosos – ficam indignados ao descobrirem que o APOLOGETIX é uma banda que pega clássicos do rock e do heavy metal e coloca letras cristãs neles. Não só letras cristãs como citações incisivas de textos bíblicos! Fazendo trocadilhos com os títulos das músicas, esses caras são no mínimo criativos e no geral fazem um som muito bom. Fica difícil escolher apenas uma música para representá-los, mas segue abaixo Bohemian… ops! “Bethlehemian Rhapsody” (o video não é oficial):


10 . AMARANTHE

Melodic Death Metal não é uma coisa nova. Melodic Death Metal com efeitos eletrônicos, flertando com o New Metal também não é novidade. A novidade no AMARANTHE está na inusitada combinação de três vocalistas de estilos completamente diferentes: Um vocal masculino limpo, vocal masculino gutural e vocal feminino belting. As possibilidades são muitas numa banda que pode explorar tantas variações de vocal. Aliás, a banda foi lançada com ajuda do KAMELOT. A vocalista – que além de talentosa é linda – Elize Ryd é uma das back vocals oficiais do KAMELOT. O som é bem interessante. Abaixo um dos singles:

Fonte:http://whiplash.net/materias/biografias/165009-diabloswingorchestra.html#.UvD1w_ldX90

Anúncios