NOVO CLIPE DO ARCH ENEMY

archenemy-alissa-600x399

 

Assista ao clipe de You Will Know My Name, música inédita do novo álbum do Arch Enemy, chamado War Eternal, que sai em 10 de Junho pela Century Media.

 

Fonte  :    NEWMETALDISCS

Anúncios

Power Metal: 10 álbuns essenciais do estilo

O gênero Power Metal realmente decolou no final dos anos 80, com a ajuda de bandas como HELLOWEEN e GAMMA RAY. Os anos 90 continuaram este momento, graças ao ICED EARTH, BLIND GUARDIAN, HAMMERFALL e DRAGONFORCE. Os fãs do metal ficaram enfeitiçados com os solos rápidos e os vocais altivos, juntamente com letras descrevendo criaturas místicas, mágica e mundos vastos de fantasia. Durante os anos, foram lançados alguns álbuns chave que definiram o power metal e trouxeram os holofotes para o gênero.
Chad Bowar, do About Heavy Metal, colocou no ar uma lista contendo os 10 álbuns essenciais do Power Metal.
1. BLIND GUARDIAN
“Nightfall In Middle Earth”
O álbum que definiu a carreira do BLIND GUARDIAN, este álbum conceito de 1998 foi baseado no “Silmarillion” de J.R.R. Tolkien. Embora pesado nos interlúdios, “Nightfall in Middle Earth” é um disco forte que tem suas reviravoltas. Feito para ser escutado por completo, o sexto álbum do BLIND GUARDIAN é talvez o melhor trabalho da banda até hoje.
2. CRIMSON GLORY”Transcendence”
Uma banda que é bastante esquecida nos anuários da história do power metal, o CRIMSON GLORY nunca foi reconhecido por ajudar a moldar e dar forma ao gênero. O álbum deles de 1988 é um dos mais desvalorizados do power metal, uma coleção poderosa de material que perfeitamente equilibra agressividade e beleza. “In Dark Places” é um épico chocante, enquanto que a banda teve em “Lonely” seu single hit e uma maravilhosa balada acústica na música título.

3. DRAGONFORCE
“Valley Of The Damned”

Antes do súbito aumento de popularidade graças ao sucesso de “Through The Fire and Flames”, o DRAGONFORCE era uma jovem banda com maestria técnica e um talento para melodias cativantes. O álbum de estreia deles, em 2003, é prova disto. “Valley of the Damned” trouxe um som fresco que iria crescer cada vez mais com a carreira do DRAGONFORCE.

4. GAMMA RAY
“Land Of The Free”

Quando o guitarrista Kai Hansen, ex-HELLOWEEN, formou o GAMMA RAY em 1989, ninguém teve dúvidas que a banda iria se elevar ao mesmo prestígio da banda passada de Hansen. O álbum “Land of the Free”, de 1995, é o álbum quintessencial do GAMMA RAY. Uma fantástica abertura (“Rebellion in Dreamland”), um hino (música título), e uma balada lenta (“Farewell”). Hansen e companhia iriam se aproximar diversas vezes do top “Land of the Free”, mas nenhum deles chegaria nem perto.

5. HAMMERFALL
“Glory To The Brave”

A maioria dos álbuns de estreia mostram uma banda procurando o seu som, normalmente precisando de alguns álbuns para encaixar as partes. O HAMMERFALL nunca teve este problema, o álbum de 1997, “Glory to the Brave” foi um início bastante interessante e cativante para o que se tornaria uma carreira longa e satisfatória. A música título foi a primeira grande peça da banda, e o resto do material ainda é forte depois de todos estes anos.

6. HELLOWEEN
“Keeper Of Seven Keys Part 1”

O segundo álbum do HELLOWEEN em 1987 definitivamente evitou a maldição do segundo álbum, e em essência, ajudou a definir o que o power metal se tornaria. A banda pegou o NWOBHM e adicionou elementos melódicos ao som para soar mais grandioso e vivo. “Halloween” é um clássico.

7. ICED EARTH
“Horror Show”

Selecionar o álbum essencial do ICED EARTH pode ser uma tarefa complicada, e em alguns momentos pode se ficar entre “Burnt Offerings” ou “The Dark Saga”, mas se olhar para o “Horror Show” de 2001, dá para ver a banda no seu melhor. Com Matt Barlow dando a performance de sua carreira, Jon Schaffer caprichando em riffs memoráveis e o deus Richard Christy batendo forte nas peles, “Horror Show” é o som da banda incinerando com todos os seus cilindros. As épicas “The Phantom Opera Ghost” e “Damien” são minhas favoritas, além do cover “Transylvania”, do IRON MAIDEN.

8. PRIMAL FEAR
“Jaws Of Death”

Outra banda que é bastante ignorada pelos fãs do mainstream do power metal, o PRIMAL FEAR está pela cena por em torno de uma década, lançando álbuns em uma velocidade rígida (um a cada ano ou dois). O segundo álbum da banda, “Jaws of Death”, de 1999, é básico, rápido e pesado. Em outras palavras, a trilha sonora perfeita do power metal. “Final Embrace” termina o álbum com uma pancada, em um final forte na violenta re-edição do clássico do RAINBOW, “Kill the King”.

9. STRATOVARIUS
“Dreamspace”

O que o STRATOVARIUS consumou em seu terceiro álbum, “Dreamspace” de 1994, foi pegar o power metal e adicionar um toque progressivo nele. As músicas são relativamente curtas, não ultrapassando a marca dos seis minutos, mas a banda reuniu bastante conteúdo desta vez.

10. THEOCRACY
“Theocracy”

Comparado ao resto destas bandas, o THEOCRACY é o garoto corajoso com a cabeça cheia de ideias. Formado em 2002 por Matt Smith, ele fez todo o trabalho instrumental e vocal no álbum auto-intitulado de 2003 da banda. Para um projeto de um homem só, o “Theocracy” é um álbum infernal. Smith não segurou nada, com três músicas que passam a marca de 11 minutos e trazem uma mensagem positiva. A guitarra e os teclados se misturam e trabalham um com o outro, e Smith tem um grande alcance.

Imagem
                                                  

Fonte: About Heavy Metal